Poesia Contemporânea Brasileira - por Michelle Zanin

02/04/2016 20:18

 

“Poesia Contemporânea Brasileira”

 

 Vivemos o período da pós-modernidade, há uma tendência à negação dos valores modernos.

No mundo contemporâneo, vemos diversas transformações econômicas, políticas e tecnológicas que acabam por refletir diretamente na vida em sociedade, está havendo uma revolução em escala global.

 A cultura tende a ser massiva, torna-se uma mercadoria.

A literatura tornou-se popular, perdeu seu caráter tradicionalista, não sabemos o que está se formando no universo literário, ainda é muito cedo para traçar um cenário, dizer se estamos diante um período revolucionário que tende a marcar época e criar tendências.  Até os críticos mais conservadores tendem a ser céticos, há somente dúvidas e comparações, todos almejam entender o atual movimento literário, querem um período marcante que se iguale ao romantismo ou ao realismo.

A poesia, conhecida como uma das sete artes tradicionais, certamente é o gênero lírico que mais vem sofrendo com os impactos da mudança, se antes era necessário haver métrica para escrever um poema hoje a mesma necessidade já não existe.

A nossa atual conjuntura permite ao poeta uma ampla licença poética, há uma enorme flexibilização das regras textuais, até mesmo a linguagem tende a se adaptar, a poesia passa a ser a concretização dos pensamentos e sonhos mais íntimos de seu autor, já não existe o certo e o errado, o feio ou o bonito, a estética poética praticamente desapareceu.

Com o advento das novas tecnologias, a poesia que lentamente morria resurge de forma sagaz.

  

A internet possibilitou a poesia tornar-se algo mundial, hoje já não podemos dizer que existe a poesia brasileira ou a poesia argentina; a internet possibilitou uma interação entre os autores que acabam por trocar experiências e influenciar diretamente a obra de seus conterrâneos, há uma unificação, representada das mais distintas maneiras, no mundo virtual não existem fronteiras e barreiras físicas.

As palavras e versos que antes se eternizavam em livros, agora se eternizam em portais virtuais, as novas tecnologias possibilitaram uma ampla divulgação, vários autores que antes passavam anos guardando seus poemas na gaveta, devido as dificuldades em se contactar com as editoras ou as dificuldades financeiras, agora podem revelar ao mundo suas obras; os autores veteranos também se beneficiam, pois mais pessoas leem seus trabalhos, é mais fácil e rápido ter acesso aos conteúdos  literários através do computador.

Mais do que difundir a velha e serena poesia, a rede mundial de computadores provou que a poesia ainda é rentável, demonstrou um numero crescente de novos poetas que cada vez mais cedo se sobressaem no universo literário.

  Paulo Leminski, certamente será um dos ícones de nossa era contemporânea, devido ao seu estilo de vanguarda que mistura em sua obra características do barroco, concretismo, classicismo e, sobretudo modernismo, fazendo sempre questionamento e reflexões.

Atualmente, vemos na mídia nomes como o de Angélica Freitas, que demonstra em sua obra ironia e o humor escrachado, ao abordar em seus poemas principalmente a essência feminina.

Outra autora, cuja obra é bastante comentada atualmente é Ana Martins Marques, seu estilo prosaico que muitas vezes utiliza o coloquialismo, chega a ser comparado ao estilo de Adélia Prado.

 

 

Entretanto, falar em um grupo de poetas que se destacam ou em um poeta especifico é quase impossível no atual cenário da poesia contemporânea, há muitos poetas e muitos estilos diferentes, que acabam por atrair subgrupos específicos de leitores.

Existe uma grande dificuldade em analisar a obra como um todo, visto que a poesia contemporânea acaba por misturar todas as tendências e estilos literários, ela recria o passado e o transforma dando- lhe uma roupagem atual.

Somente o tempo poderá traçar diretrizes e demonstrar o caminho da literatura brasileira, sobretudo o caminho da poesia.

Vários autores ainda irão emergir e de forma significativa irão deixar sua contribuição na poesia contemporânea, podendo inclusive surgir poetas cujos versos se comparem aos de Carlos Drummond de Andrade.

 

 

Michelle  Zanin.

Presidente Fundadora da Academia Luminescência Brasileira.

Escritora, Jornalista estudante de política conservadora.

Email: michelleescritora@yahoo.com.br

 

Visitantes Amazing and shiny stats
Blog Counters

 Apoio

Contato

Revista Academica Online editorial@revistaacademicaonline.com