Os Projetos e a Formação da Valorização Humana: O Respeito a Pessoa com Deficiência, um caminho a ser seguido

OS PROJETOS E A FORMAÇAO DA VALORIZAÇÃO HUMANA: O RESPEITO A PESSOA COM DEFICIÊNCIA, UM CAMINHO A SER SEGUIDO.

                                                  Solange Maria Cardoso Carrion do Nascimento

 

RESUMO

O presente artigo tem como objetivo fazer uma reflexão sobre a educação pautada em projetos, salientando como esse caminho apresenta oportunidades para construção dos conhecimentos, construção sim, pois os projetos possibilitam que os alunos ao realizarem as atividades compreendam os conteúdos de forma participativa, verificando como surgiu o conhecimento, o porquê de cada um. O artigo pretende ressaltar um olhar além do conhecimento adquirido, um olhar em relação à valorização humana através da cooperação, trabalho em conjunto, a valorização do próximo. Relatarei sobre a experiência de um projeto com o título “Os cinco sentidos” que demonstra essa relação de cooperação, envolvimento, participação prazerosa que foi proporcionada aos alunos.

PALAVRAS CHAVE: Projetos / Educação / Conhecimento /Valorização humana.

 

ABSTRACT:

This article aims to reflect on the education based on projects, stressing how this path presents opportunities for the knowledge construction, yes construction, because the projects allows students to carry out the activities understand the participative content, noting how the knowledge emerge, why each one. The article intends to emphasize a look beyond the acquired knowledge, a look in relation to human enhancement through cooperation, working together, the others’ appreciation. I will report the experience of a project titled “The Five Senses" which demonstrates this cooperative relationship, involvement, pleasurable participation that was provided to students.        

KEY WORDS: Projects, Education, knowledge, Human enhancement

 

Introdução:

Neste artigo gostaria de enfatizar a importância da opção metodológica pautada em projetos; pretendo deixar uma contribuição para os educadores e todos que de certa maneira atuam na educação, seja nas escolas, creches, entidades e aqueles que estão à frente de trabalhos que possam dele se beneficiar. Um artigo embasado em pesquisa bibliográfica e experiência de uma Escola Estadual.  Acredito que com os projetos os educadores poderão com certeza formar alunos que conseguem se organizar em função das metas com objetivos de desenvolver atividades com autonomia, participação e pensamento crítico, posicionando-se diante dos fatos. Uma metodologia envolvente que apresenta motivos para uma pesquisa, confecção de materiais, levando a atividades prazerosa e motivadoras,com temas envolventes. Inicia-se de curiosidades, de fatos da realidade social, cultural de nossos alunos, organizando-se o projeto em função da realidade de cada escola. Muito além da aquisição dos conhecimentos os educadores participarão da formação humana de seus alunos, uma vez que os projetos possibilitam a organização dos alunos em grupos, desenvolvendo a cooperação, a divisão das atividades, respeitando o outro como participante em busca de um objetivo comum, adquirindo novas habilidades. Lançando temas que sejam pertinentes e desenvolvam a valorização humana, o respeito a todas as pessoas, a colaboração e o amor fraterno, despertando para o conhecimento dos fatos de sua realidade. Os projetos são regidos por atividades coletivas, onde a participação de todos é imprescindível, sempre motivada pelos educadores. Uma forma de incentivar a participação, ao elencar, sugerir aos alunos as atividades, é aceitar as ideias, as sugestões que os alunos trazem e juntos montarem através de esquemas, pequenos planos das atividades e todo o projeto.

Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais – Introdução - Vol. 1-pg. 94).

“  Uma opção metodológica que considera a atuação do educando na construção do seu próprio conhecimento , valoriza suas experiências, seus conhecimentos prévios e  a interação professor-aluno, aluno-aluno (...) desenvolvendo no educando a capacidade de posicionar-se, elaborar projetos pessoais e participar enunciativa e cooperativamente de projetos coletivos, ter discernimento , organizar-se em função de metas eleitas, governar-se, participar da gestão de ações coletivas , estabelecer critérios e eleger princípios éticos.”

 

1-PROJETOS: UM CAMINHO A SER SEGUIDO

Quando nos referirmos aos projetos não podemos pensar somente em atividades diferenciadas, soltas dentro de um tema. O projeto parte de questionamentos da realidade vivida por cada escola, por aqueles alunos que estão inseridos em uma determinada comunidade, em um meio social pertinente àqueles educandos. Devendo estar entrelaçados aos problemas de interesse e curiosidades próprias. Um projeto se refere a uma prática educacional no qual o educando participa ativamente da construção de seu conhecimento; buscando analisar os problemas sociais e contribuindo para solução dos mesmos. Faz se necessário transformar à escola em um espaço de análise, discussão e reflexão da realidade, com o objetivo de buscar soluções para os inúmeros problemas sociais de nosso tempo. Segundo FONSECA F. M.J

 

Aprender fazendo, agindo,experimentando, é o modo mais natural, intuito e fácil de aprender. Trata-se mais que uma estratégia fundamental de aprendizagem: é um modo de ver um ser humano que aprende. Ele aprende pela experimentação ativa do mundo (FONSECA F.M.J. pg. 14)

 

Projetos são dinâmicos, estruturados em atividades diversificadas, e principalmente realizadas em grupos, apresentando características de cooperação entre os participantes; os projetos além do conhecimento proporciona o desenvolvimento de valores humanos como a cooperação, a participação, o empenho, a colaboração, imprescindíveis para a convivência em um mundo tão competitivo, imbuído de disputas que geram conflitos entre as pessoas, deixando muitas vezes que o conhecimento não seja compartilhado. O isolamento no estudo não nos permite aprender com o outro. De acordo com FONSECA F. M.J

 

O conceito moderno de trabalho não aceita esse isolamento para a produção de conhecimento.Conhecimento é um ato produzido socialmente. Os homens e as mulheres conhecem juntos porque constroem conjuntamente o conhecimento, ao longo da história. Ele é uma produção coletiva, solidária, mesmo que não esteja claro todo o tempo quem são os parceiros desse longo processo. ( FONSECA F.M.J. pg. 32).

 

Um projeto será de interesse para os alunos quando eles puderem participar da escolha da problemática ou sugerindo um tema.Onde poderão realizar atividades dinâmicas, envolventes, atividades que possam confeccionar, expor sua criatividade, questionar e contribuir com ideias para o desenvolvimento do projeto.Projetos voltados a temas atuais que são pertinentes a realidade de cada escola.Os conhecimentos serão adquiridos mediante a intervenção e direcionamento pelo professor, que seguindo seus objetivos dará o norte as atividades, ao mesmo tempo tomando cuidado em permitir a colaboração dos alunos.O professor como mediador nas atividades em um processo flexível,onde a participação de todos é importante, aberto a mudanças durante sua execução, colaborando para o desenvolvimento da cooperação,socialização dos conhecimentos, e principalmente buscando o conhecimento de forma vinculada com a realidade sem fragmentação dos mesmos.Afirma (HERNANDEZ,1998).

 

Aproxima-se da identidade dos alunos e favorecer a

construção da subjetividade, longe de um prisma paternalista, gerencial ou psicologista, o que implica considerar que a função da escola não é apenas ensinar conteúdos, nem vincular a instrução com a aprendizagem. Revisar a organização do currículo por disciplinas é a maneira de situá-lo no tempo e no espaço escolar.  O que torna necessária a proposta de um currículo que não seja uma representação do conhecimento fragmentada, distanciada dos problemas que os alunos vivem e necessitam responder em suas vidas, mas, sim, solução de continuidade. Levar em conta o que acontece fora da escola, nas transformações sociais e nos saberes, a enorme produção de informação que caracteriza a sociedade atual, e aprender a dialogar de uma maneira crítica com todos esses fenômenos. (HERNANDEZ, 1998, pg. 61)

 

Na realização de projetos o aluno passa ser o protagonista das ações, ele tem a responsabilidade de à partir de uma problemática, realizar pesquisas, buscar soluções, refletir, discutir sobre o tema abordado. Nessa nova estratégia educacional o educando terá a oportunidade de crescer, aperfeiçoar, aguçar sua criatividade, tomando decisões que colaborarão para o desenvolvimento e preparação para exercício da cidadania com autonomia.

A escola dá a oportunidade da interação de diferentes pessoas, interesses e experiências de vidas diversificadas que vão formando opiniões, conceitos e uma cultura própria diante dos diferentes discursos. Na escola todos interpretam a realidade levando-se em conta suas,vivências,experiências.Formando - se  um cidadão crítico capaz de atuar na sociedade.A escola não mais com um único objetivo, o de transmitir conteúdos, mas transformadora e formadora de uma cultura diante de uma realidade,de  situações contextos.Afirma  HERNANDEZ,(1998, pg. 33).

                   

  Daí vem o fato de que a ideia de identidade cultural seja sempre mais complexa do que seu reducionismo vinculado a uma nação, um território, uma religião, uma língua ou uma etnia. Reconhecer e compreender a sabedoria que procede de gente de todos os lugares foi a atitude que predominou desde o tempo dos egípcios, em todos os homens e mulheres que tiveram como paixão o conhecimento, e a equidade como guia de suas vidas.

 

A escola é desafiada a ensinar além dos conteúdos, levar há outros conhecimentos tornando os alunos aptos há reflexão diante da realidade. A realidade não é estática e não pode ser definida com uma única interpretação. Hernandez salienta que:

 

A)         Questionar toda forma de pensamento único, o que significa introduzir a suspeita sobre as representações da realidade baseada em verdades estáveis e objetivas.

B)         Reconhecer diante de qualquer fenômeno que se estude as concepções que o regem, as versões da realidade que representam e as representações que tratam de influir em desde elas.

C)        Incorporar uma visão crítica que leve a perguntar-se a quem beneficia essa visão dos fatos e a quem marginaliza...

D)        Introduzir, diante do estudo de qualquer fenômeno, opiniões diferenciadas, de maneira que o aluno comprove que a realidade se constrói desde pontos de vista diferentes, e que alguns se impõem frente a outros nem sempre pela força dos argumentos, e sim pelo poder de quem os estabelece.

 

Os alunos precisam ser formados para atuarem criticamente na realidade em que vivem, observando que as realidades apresentam objetivos de uma determinada classe social que muitas vezes impõem seus interesses específicos. Os projetos são uma grande oportunidade para a expressão de opiniões, criatividade, expressão da cultura, discussão e principalmente a formação além dos conteúdos, a formação do cidadão por completo, autônomo para participação na sociedade.

 

2- CONHECENDO AS CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO

 

Hoje vivemos em um mundo em que as informações são conseguidas rapidamente através dos meios tecnológicos, de maneira atrativa e com acesso a todos de modo geral. Um mundo onde os jovens são caracterizados pelo imediatismo, dinamismo e se ajustam com um ensino atrativo, onde possam participar ativamente. Os projetos são meios para que os alunos possam participar expressando sua criatividade, usando os meios tecnológicos, sua ação dinâmica, há espaço para tudo, para diferentes aprendizagens e opiniões. A diversidade que cada grupo apresenta, as diversas contribuições e experiências acrescenta para aqueles que não possuem os conhecimentos ou algum déficit, limitação, a oportunidade de aprender em um processo colaborativo. No desenvolvimento de um projeto o ensino se realiza não linearmente, está sujeito a mudanças, negociação com os alunos novas decisões, mas precisamos de um fio condutor para nos nortear.Segundo Hernandez(1998) um projeto caracteriza-se por uma sequência geral.

 

- Parte de um tema ou de um problema negociado com a turma.

- Iniciam-se um processo de pesquisa.

- Buscam-se e selecionam-se fontes de informação.

- Estabelecem se critérios de ordenação e de interpretação das fontes.

- Recolhem se novas dúvidas e perguntas.

- Estabelecem-se relações com outros problemas.

- representa-se o processo de elaboração do conhecimento que foi seguido.

- recapitula-se (avalia-se) o que se aprendeu.

- Conecta-se com um novo tema ou problema.

 

Ainda segundo Hernandez, responde o que poderia ser um projeto de trabalho.

 

1- Um percurso por um tema- problema que favorece a análise, a interpretação e a crítica (como contraste de pontos de vista).

2- Onde predomina a atitude de cooperação, e o professor é um aprendiz, e não um especialista (pois ajuda a aprender sobre os temas que irá estudar com os alunos).

3- Um percurso que procura estabelecer conexões e que questiona a ideia de uma versão única da realidade.

4- Cada percurso é singular, e se trabalha com diferentes tipos de informação.

5- O docente ensina a escutar; do que os outros dizem, também podemos aprender.

6- Há diferentes formas de aprender aquilo que queremos ensinar (e não sabemos se aprenderão isso ou outras coisas).

7- uma aproximação atualizada aos problemas das disciplinas e dos saberes.

8- Uma forma de aprendizagem na qual se levam em conta que todos os alunos podem aprender, se encontrarem o lugar para isso.

9- Por isso, não se esquece de que a aprendizagem vinculada ao fazer à atividade manual e à intuição também é uma forma de aprendizagem.

 

 

3- UMA EXPERIÊNCIA COM PROJETOS NA ESCOLA ESTADUAL PROFª ALMERINDA RODRIGUES NO MUNICIPIO DE MOGI GUAÇU

 

Ao escrever esse artigo busquei respaldo em pesquisa de campo, realizada em uma Escola Estadual do município de Mogi Guaçu-SP. Relatarei a experiência de um trabalho com projetos realizado na disciplina Oficina Leitura e Produção de Textos, que faz parte do currículo oficial da ETI- Escola de Tempo Integral da referida escola. Com o título “Os cinco sentidos” o projeto parte da realidade vivenciada pelos alunos, uma vez que a presente escola pesquisada, apresenta alunos com deficiência no ensino comum, como também em atendimentos em Sala de Recurso..Ao se deparar com esse público a professora lançou o tema com questionamentos sobre a importância dos cinco sentidos para as pessoas, os cuidados que devemos ter com nossos sentidos, buscou motivá–los a cuidarem e valorizarem os nossos  sentidos (a audição, a visão o paladar, o tato e o olfato).Foi proposto para os 9º anos A e B, com duração planejada para 6 meses.

 

Entrevistando a professora regente da classe foram elencados os seguintes objetivos do projeto:

 

- Despertar a atenção sobre a importância dos cinco sentidos para todos os seres vivos.

- Incentivar os cuidados que devemos ter para preservar os cinco sentidos.

- Motivar os alunos a cuidarem da saúde se afastando de drogas, bebidas e tudo o que causa prejuízo ao nosso corpo.

- Motivar a pesquisa sobre como as pessoas com deficiência precisam de adaptações no meio social na falta de um dos sentidos.

- Valorizar e respeitar todas as pessoas, entendendo que algumas necessitam de adaptações de acordo com suas necessidades específicas; por algum comprometimento de um dos cinco sentidos.

- Realizar atividades que envolvam a pesquisa, a leitura e a escrita, pertinentes aos objetivos à  Oficina de Leitura e Produção de textos.

- Oportunizar aos alunos a expressão artística, a reflexão sobre o tema, a formação de opinião, o questionamento e a busca de soluções aos problemas e dúvidas que surgirem.

- Desenvolver um projeto no qual os alunos interagissem através do tema, do problema envolvendo-os na busca dos conhecimentos, com a participação de todos, melhorando a questão do relacionamento, a afetividade e desenvolvendo o trabalho colaborativo entre eles, oportunizando a aprendizagem aqueles que possuem maiores dificuldades.

 

Desenvolvimento do projeto

 

Diante da problemática que envolve os cuidados com os cinco sentidos, na busca da valorização de nossa saúde, direcionando um olhar com respeito  às pessoas com deficiência, procurando conhecer como a pessoa com deficiência utiliza-se de adaptações para desenvolverem perante o  comprometimento de algum dos sentidos; foram lançadas diversas atividades para os alunos, entre elas: 

- Atividades com pesquisas, que foram divididas, ajustadas aos cinco sentidos (audição, visão, tato, paladar e olfato), realizadas e relacionadas com um dos sentidos de cada vez.

 

 AUDIÇÃO:

 Foi proposto aos alunos que fizessem uma pesquisa com o seguinte questionamento “Como as pessoas surdas se comunicam”? “Na falta da audição como as pessoas se comunicam?”

Foram feitas as discussões do assunto pesquisado, toda a pesquisa foi escrita e após as reflexões foi proposto uma atividade na qual os alunos puderam vivenciar como é feita a comunicação das pessoas com surdez através da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). Pesquisaram o alfabeto digital usado pela pessoa com surdez e desenvolveram uma atividade em sala de aula, onde soletravam seu nome ante uma pergunta feita por outro aluno.Houve uma interação prazerosa entre os alunos e muito gratificante para a professora ao sentir o envolvimento de todos na atividade, momento de muita aprendizagem !

Em outra atividade com o sentido da audição, iniciou-se com a leitura de textos dissertativos com o título: “Os sentidos! Que sentido Tem?” após as reflexões, foi utilizada a música clássica. Durante a aula os alunos puderam ouvir músicas clássicas, onde foi proposto que ao ouvirem a música, escrevessem uma palavra que representasse um sentimento, uma emoção. Também poderiam desenhar expressando tudo o que estivessem sentindo a respeito da música.

Ainda ouvindo música clássica poderiam riscar aleatoriamente uma folha de papel, para ser colorida e ser transformada em uma obra de arte.

 

 VISÃO:

Nesta aula o estudo foi feito com a leitura de vários poemas com o tema “Os cinco sentidos”. Segundo a professora os alunos ouviram com interesse e foram abertas novamente as discussões sobre o tema, sobre as impressões do autor, a época em que foi escrito, os sentimentos envolvidos no poema, os cuidados com a visão, a importância dos cuidados com nossa saúde, sempre valorizando o nosso corpo saudável. Em outro momento foi lançada a atividade conhecida como Prender o Rabo no Burro com o objetivo de se vivenciar como a visão é importante em nossa vida, também uma oportunidade de sentir um pouco das sensações da pessoa com deficiência visual. Na atividade encontraram um pouco de dificuldade em desenhar um burro,então foi proposto que trocassem o burro por um elefante o que seria mais fácil de desenhar, encontraram ajuda de várias pessoas da escola para confecção do material para brincadeira.Ao realizarem a brincadeira os alunos se divertiram muito, vibraram,interagiram, houve cooperação, organização das regras e participação.Vivenciaram a falta da visão por alguns momentos, enfim  o objetivo foi alcançado.

 

 TATO:

Com o objetivo de vivenciarem a função do tato, foi realizada uma atividade onde vários objetos foram escolhidos, trazidos pelos alunos e colocados em uma sacola. De olhos vendados apalpavam os objetos e tentava-se descobrir qual era o objeto, interagindo com diferentes texturas e aguçando o tato. Houve a participação de todos com muita alegria.

 

OLFATO:

Para destacar a sentido do olfato foram desenvolvidas atividades com alimentos (doce de goiaba, chocolate) ervas (hortelã, cidreira) frutas (maçã, morango, etc.). A sala foi dividida em grupos que receberam potes individuais com os diversos alimentos.Com os olhos vendados faziam o reconhecimento ou não dos mesmos. A brincadeira e entusiasmo foi contagiante, segundo a professora.

 

PALADAR:

Como na atividade com o sentido olfato também foram utilizados os alimentos (doces, salgados, bebidas) para serem degustados e adivinhados. Ao término, realizaram registros das impressões da atividade e escolheram duas palavras com as quais produziram um poema. 

Atividades variadas:

Entre as atividades também destaco a leitura do livro “O olho de vidro de meu avô”, que refere- se ao olhar de como o avô vê o mundo, como são suas impressões, emoções frente à falta de um dos olhos. Os alunos puderam conhecer como a pessoas com a falta parcial do sentido da visão (visão monocular) se sente, suas emoções, experiências. 

 

Atividade de finalização do projeto

Como finalização do projeto foi proposto uma atividade com o objetivo no qual os alunos pudessem expressar seus sentimentos e emoções. Fizeram uma árvore, uma macieira em papelão, jornal, papel cartão. Construíram uma frase em que demonstrava seus sentimentos, suas impressões, aprendizados, emoções em relação ao projeto, às atividades desenvolvidas, sobre todo o processo que envolveu o projeto. Salientou-se nas discussões sobre a atividade, o quanto precisamos um do outro para desenvolver nossos projetos de vida, projetos escolares, a necessidade da colaboração como parte de nosso dia a dia,como a valorização humana é benéfica,mostrando a importância de valorizarmos nossa saúde, os cinco sentidos,as pessoas com quem convivemos.

 

CONCLUSÃO

Em um mundo caracterizado por constantes mudanças tecnológicas, sociais e a busca por rompimentos de barreiras, preconceitos, um planeta repleto de desafios, problemas e questões das mais diversas áreas sociais, questões essas que perpassam nossas famílias, nosso sistema educacional, nossa sociedade; faz se necessárias oportunidades para que os jovens discutam, formem opiniões a cerca deles e adquiram conhecimentos para o seu pleno desenvolvimento.

Verifico que projetos interdisciplinares que envolvam temas das diversas disciplinas e principalmente envolvam os educandos a buscar e construir o conhecimento, que conduzem e oportunizem atividades prazerosas, que despertem a criatividade e levem ao aprendizado de conhecimentos importantes inerentes ao currículo a ser desenvolvido, são necessários dentro do atual contexto. Uma vez que o dinamismo e o imediatismo são características dos jovens de nossa atualidade devido a estimulação dos meios tecnológicos e as mídias que cada vez mais os conectam com o mundo com muita rapidez levando os a atração por atividades dinâmicas onde possam usar todas as tecnologias que são de seu conhecimento e vivência. Atividades que envolvam o grupo e coletivamente todos aprendam e respeitem o ritmo e as especificidades de cada aluno.

Concluo que a metodologia com projetos permite ir além da aquisição dos conhecimentos, uma vez que ao desenvolverem os projetos coletivamente estimulam a cooperação, a interação entre alunos e professores e a escola em geral, a prática da afetividade e ajuda mútua indispensáveis em um mundo tão sedento de união, respeito e amor fraterno.Criando-se um ambiente em que todos com um objetivo comum busquem seus conhecimentos, com atividades diferentes do dia a dia, em aulas que são enriquecedoras para o desenvolvimento de um cidadão autônomo em suas decisões e reivindicações  sem deixar de praticar ações mais humanizadas.

  

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais/Secretaria de Educação Fundamental - Brasília: MEC/SEF,1997.126p. 

_________. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Apresentação dos Temas Transversais, ética/Secretaria de Educação Fundamental  - Brasília: MEC/SEF,1997.146p.  

FONSECA, Fernando Moraes Junior. Aprendendo com projetos. Organização, Produção, Artes –USP. 

HERNANDEZ, Fernando. Transgressões e mudanças na educação : os projetos de trabalho/Fernando Hernandez ;tradução Jussara Haubert Rodrigues - Porto Alegre: Artmed,1998. 

MACHADO, Nílson José. Educação: projetos e valores. São Paulo: Escrituras Editora, 2000. Coleção ensaios transversais. 

MANTOAN, Maria Teresa Égler. Inclusão escolar: o que é? por quê? como fazer?São Paulo, SP: Moderna, 2006.

 

Contato

Revista Academica Online editorial@revistaacademicaonline.com